top of page
Buscar

PARA QUÊ SERVE A HOLDING FAMILIAR?


Segurança, economia e maior controle de seu patrimônio


Construir e evoluir um patrimônio não deve ser sua única preocupação. Também é necessário pensar em como estruturá-lo e gerenciá-lo para ter melhores resultados com seu dinheiro e bens, assim como a forma de transição destes, já que, teoricamente, eles vão durar mais do que você.

Nesse sentido, vale a pena saber o que é uma holding familiar.

Dessa forma, vamos esclarecer quais são as vantagens de contar com essa estrutura e quanto é necessário dispor para começar a sua. Assim, será possível determinar se essa é a melhor opção para o seu patrimônio.

1. O que é uma holding e como funciona?

O termo holding é muito utilizado no ambiente de negócios e consiste em uma empresa que controla outras companhias — que são chamadas de subsidiárias. Porém, o termo hoje tem sido muito utilizado para questões sucessórias.

Nesse contexto, a holding é uma pessoa jurídica que passa a ser a dona de um patrimônio que, antes, era de pessoas físicas. Como resultado, aqueles que até então eram donos dos bens e direitos se tornam sócios da holding, de modo a acessar os resultados da empresa.

Em geral, essa holding é criada para contemplar um núcleo familiar, como os herdeiros de propriedades e outros ativos. Portanto, ela também é conhecida como holding familiar quando envolve o foco em um patrimônio desse tipo de núcleo.

2. Quanto custa fazer uma holding?

Agora que você sabe o que é uma holding familiar é importante compreender quanto custa abrir uma empresa desse tipo. Apesar de os valores variarem a cada situação, é possível estimar os principais gastos a partir de R$ 25 mil (projeção para 2023), fora tributos.

Entre as principais despesas, estão:

· contratação de suporte jurídico;

· contratação de contador;

· obtenção de certidões e outros documentos;

· registros e pagamentos de taxas.

Porém, além dos custos de abertura é preciso pensar nos gastos com a manutenção da empresa. Afinal, o pagamento de determinados impostos e serviços, por exemplo, pode elevar as despesas do processo.

3. Quais as vantagens de contar com uma holding familiar?

O próximo aspecto que você precisa conhecer sobre uma holding familiar é o conjunto de benefícios que ela pode oferecer. Assim, será mais fácil entender por que a alternativa costuma ser bastante procurada por famílias com patrimônios mais robustos.

3.1. Eficiência tributária

Um dos pontos positivos de criar e manter uma holding familiar envolve o pagamento de impostos. Por ser uma pessoa jurídica, há uma tributação que pode ser menor em diversos momentos, como na transmissão de bens.

Com isso, é possível prevenir a dilapidação do patrimônio, que está relacionada, entre outros fatores, à tributação em excesso. Além disso, essa vantagem da criação da holding pode ajudar a fortalecer o acúmulo de patrimônio ao longo do tempo.

A eficiência tributária mais notável é na administração de imóveis. Com a redução da alíquota sobre a renda de aluguéis e sobre a venda de imóveis.

Uma pessoa física que tenha imóveis alugados, por exemplo, pode pagar até 27,5% de Imposto de Renda. Dentro de uma holding familiar, esse percentual cai para cerca de 11,3%.

O mesmo vale para o ganho de capital sobre venda de imóveis, na qual uma pessoa física paga 15% de IR, enquanto uma empresa paga cerca de 6%.


3.2. Proteção patrimonial

Criar uma holding também pode ser uma alternativa para aumentar o nível de proteção patrimonial. Isso porque a maneira como ela é estruturada garante mais controle sobre o patrimônio e à forma como ele é acessado.

Ademais, ela pode servir para realizar uma blindagem patrimonial, impedindo que os bens sejam prejudicados por medidas exercidas contra um dos sócios, por exemplo. Assim, há mais segurança e tranquilidade financeira para todos os envolvidos.

É possível estabelecer mecanismos de proteção por meio de cláusulas restritivas, por exemplo, impedindo a alienação (ato de transferir para outra pessoa) ou oneração (fazer contrair dívidas) sobre um bem familiar.


3.3. Facilidade no planejamento sucessório

Outro aspecto positivo de recorrer a uma holding familiar envolve o planejamento sucessório. Sem a holding, os bens precisarão passar por um processo de inventário. Porém, ele pode ser demorado, custoso e ainda gerar disputas entre os herdeiros.

Com a holding familiar é possível realizar a transmissão de bens por meio das cotas societárias. Isso simplifica o processo, evitando que o patrimônio seja afetado por longos processos de partilha de bens.

3.4. Otimização da administração dos bens

A partir da criação de uma holding, pode se tornar mais simples administrar os bens e direitos que compõem o patrimônio. Isso acontece porque é possível recorrer a uma gestão profissional.

Desse modo, fica mais fácil implementar uma estratégia que favoreça o alcance de objetivos financeiros — como fazer investimentos. Entre eles, estão a evolução, consolidação e perpetuação do patrimônio.

4. Quando vale a pena fazer uma holding?

Conhecendo as vantagens de criar uma holding familiar, fica mais fácil entender quando ela vale a pena. Essa pode ser uma solução interessante para quem apresenta um patrimônio mais robusto ou complexo.

A holding também costuma ser vantajosa quando os custos de criação e manutenção são condizentes com o patrimônio e oferecem vantagens tributárias, por exemplo. Essas condições fazem com que a solução seja economicamente viável para muitos interessados.

No entanto, não é possível estabelecer um valor mínimo para começar. Afinal, os custos envolvidos variam a cada caso, então é preciso considerar se eles serão adequados considerando o seu patrimônio.

De qualquer forma, a holding familiar, depois de constituída, garante uma sucessão célere e com custo muito inferior a um inventário e sem litígios.

5. Como ter acesso a uma holding?

Ao conhecer os custos da holding familiar, montá-la exige a atuação de profissionais especializados. Nesse sentido, será preciso buscar o apoio de uma empresa especializada no serviço ou mesmo de profissionais individuais que atuem na área.

O processo de criação também envolve analisar o patrimônio e compreender o que fará parte da holding. Além disso, é necessário definir quem serão os sócios e como será feita a distribuição das cotas societárias.

Logo, cada um poderá ter a parte do negócio que for correspondente a seus direitos em relação ao patrimônio.

A CAS Jurídico oferece corpo de profissionais estudiosos na área, para que sua holding alcance os melhores benefícios possíveis.



Lúcio Corrêa Cassilla

Gestor da CAS Jurídico








11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Bình luận


bottom of page